Como desidratar flores e Folhas

outubro 29, 2012

 

Flores

Existem várias técnicas. Deve-se escolher a mais adequada para a flor e o resultado desejado.

Procedimentos gerais:

Os tempos de secagem variam de acordo com as plantas usadas.
É melhor cortar as flores que serão desidratadas antes de desabrocharem completamente, pois elas continuam a abrir enquanto secam.
Colha as flores em um dia seco, depois que o orvalho da manhã tiver secado. Escolha flores sadias e descarte as folhas ou pétalas secas.
Se não for secar ao natural, corte os cabos das flores. Se pretende usar em arranjos, deixe aproximadamente 3 cm e depois de secas use arame e fita de florista para criar os cabos.
Para desidratar um buquê inteiro é necessário que todas as plantas usadas possam ser desidratadas com o mesmo método. Em geral usa-se a silicagel. Se não for possível, fotografe o buquê, desmonte-o, seque as flores individualmente e torne a fazer a montagem guiando-se pela foto.
Se você pretende desidratar seu buquê de noiva pense na possibilidade de encomendar dois iguais, um para ser desidratado e outro para jogar para as convidadas. Também é interessante fazer um teste, algumas semanas antes, com um buquê semelhante para avaliar os resultados.
A silicagel pode ser reaproveitada. Basta retirar a umidade usando o forno convencional.
Se usar a técnica da areia ela deve ser bem fina, limpa, seca e sem sal. Passe por uma peneira, lave bem, seque ao ar livre e retire o excesso de umidade aquecendo no forno convencional.
Se desejar, após desidratar, passe uma camada fina de verniz spray para evitar que as flores absorvam a umidade do ar.
Guarde as flores em sacos plásticos ou recipientes bem fechados até a hora de usar em seus arranjos.

MÉTODOS

Ao ar livre
É o mais simples mas as cores são alteradas. Demora de uma a duas semanas, de acordo com a umidade das flores e do local. Remova as folhas da extremidade do cabo, faça pequenos maços e pendure de cabeça para baixo em um local seco (sótão ou armário). Evite colocar no porão, varandas ou garagens. Não encoste o maço na parede.
Para rosas, corte o cabo e cuidadosamente passe um arame de florista pelo centro de cada flor. Pendure de cabeça para baixo usando o arame e deixando um espaço entre as flores.

Glicerina
O método consiste em substituir a água existente na planta pela glicerina. Demora aproximadamente 3 semanas.
A planta deve estar bem hidratada e sadia. É excelente para folhagens como o eucalipto. Use duas partes de água e uma de glicerina. Para facilitar a mistura e absorção use água morna.
Se for usar apenas folhas elas devem ser totalmente submersas na solução. Se usar galhos, amasse a ponta para facilitar a absorção e mergulhe a parte inferior no líquido.
Após retirar da solução corte a parte que ficou mergulhada no líquido e pendure de cabeça para baixo por alguns dias para garantir que a glicerina chegue até as extremidades. A mistura de glicerina pode ser reutilizada várias vezes. Se desejar, acrescente corante de alimento na solução.

Prensagem
Muito fácil, usado em geral para flores e plantas que serão coladas em cartões ou quadros pois elas ficam “chatas”. Demora de duas a quatro semanas.
Coloque as flores entre folhas de papel absorvente (jornal, lista telefônica antiga) formando um “sanduíche”. Coloque o conjunto entre duas madeiras planas e um peso no topo.

Areia ou bórax
Corte o cabo da flor. Coloque uma camada de 2 a 4 cm de areia no fundo do recipiente e faça uma depressão, coloque a flor com o cabo para baixo (rosas) ou para cima (margaridas) e faça uma ligeira pressão com a areia em volta para firmar a flor no lugar.
Com a mão ou com uma colher, preencha delicadamente os espaços entre as pétalas com a mistura, começando pelas mais externas e mantendo a forma original.
Cubra toda a flor. Coloque o recipiente aberto em local quente e seco por aproximadamente 2 semanas.
No lugar da areia pode ser usado também uma parte de bórax e uma de fubá acrescentando-se 3 colheres de sopa de sal sem iodo para cada xícara da mistura. Flores secas com areia ficam muito frágeis, cuidado ao manusear. Use um pincel e delicadamente retire a areia que ficar nos vãos das pétalas.

Silicagel
Proceda como a técnica da areia, cubra toda a flor e use um recipiente que possa ser hermeticamente fechado (tipo Tupperware).
Vede com fita crepe ou coloque a vasilha dentro de um saco plástico, retire o ar do saco e lacre. A umidade da flor é absorvida rapidamente preservando as cores melhor que qualquer outro método. A maioria das flores seca em 36 a 48 horas.
A silicagel é um produto químico utilizado para retirar a umidade de ambientes e objetos. Tem a aparência do sal grosso e muitas vezes pode ser encontrada em lojas de material fotográfico. Pode ser reaproveitada, bastando aquecê-la no forno baixo para retirar a umidade. Deve ser guardada em embalagem hermética.

Parafina
Use flores frescas. Derreta a parafina, segure uma flor por vez pelo cabo e delicadamente mergulhe na parafina.
Retire, sacuda gentilmente para tirar o excesso de cera e coloque na geladeira para endurecer.

Folhas Verdes

Procedimentos gerais:

Folhas verdes: escolha aquelas bem firmes e com muitas nervuras, árvores grandes de um modo geral são as ideais para este tipo de trabalho. Evite folhas pequenas e sensíveis demais, como a hortelã, por exemplo.

Panela ou recipiente de metal: utilize aquele objeto que não tem mais serventia em sua casa

Soda cáustica líquida ou em pedra para limpeza: se você tem o produto em casa, aproveite. Mas tome muito cuidado ao manusear, pois é altamente corrosivo.

Pincel pequeno e macio

Pinça

Modo de fazer:
Lave bem as folhas escolhidas, seque e coloque-as dentro do recipiente.
Cubra a folha com a soda cáustica. Deixe assim até que a parte verde da folha se vá e sobre somente as nervuras secas. Pode demorar cerca de um ou dois dias.

Depois, retire a folha do recipiente com a ajuda de uma pinça e lave-a na água corrente. Retire possíveis marcas verdes com a ajuda de um pincel pequeno e macio.

Tratamento de madeira?

É uma maneira de impregnar peças de madeira com substâncias químicas, com o objetivo de protegê-las da ação de fungos e insetos, que podem provocar o seu apodrecimento e depreciação.

Quais as vantagens que o tratamento de preservação de madeira oferece?

É um método simples e barato.

Pode ser feito pelo produtor o ano todo na propriedade.

Aumenta a vida útil da madeira em 5 a 7 vezes.

O que é necessário para tratar o eucalipto?

Dois tambores de 200 litros abertos na boca, de preferência de plástico. Se forem de latão, pintá-los internamente com duas demãos de Neutrol ou outro impermeabilizante por causa da ação corrosiva do cobre.

Um balde para 10 litros.

Um bambu, um galho de eucalipto ou uma pá de madeira para a mistura dos produtos na água.

100 litros de água limpa.

Dois e meio quilogramas de sulfato de cobre (ação fungicida).

Dois e meio quilogramas de dicromato de potássio ou dicromato de sódio (ação fixadora).

Meio quilograma de ácido bórico (ação inseticida).

30ml de ácido acético glacial ou 120ml de vinagre (acidificante)

Palanques roliços de madeira verde, com diâmetro máximo de 25cm e altura máxima de 3 metros.

Qual a utilidade dos tambores?

Num tambor, a solução será preparada e armazenada para ser usada quando necessário.

No outro tambor, serão colocados os palanques e depois a solução preservadora, quando estiver preparada.

Como deve ser o preparo da solução?

Primeiramente, colocar em um dos tambores 100 litros de água aos quais serão adicionados os três produtos químicos descritos, um por vez. Porém, cada um dos produtos deve ser previamente diluído no balde com 5 a 6 litros de água e somente então pode ser transferido para o tambor da solução. Após a colocação de cada produto no tambor de 100 litros, a solução deve ser agitada para total diluição.

Deve-se adicionar inicialmente o ácido acético e depois os outros produtos.

Como preparar a madeira para receber o tratamento?

O corte da madeira pode ser feito com motosserra, serrote, traçador e, até mesmo, machado, desde que bem afiados.

A madeira deve ser verde e roliça, proveniente de árvores sadias.

Devem-se preferir árvores com o mínimo de galhos nos dois terços inferiores do tronco.

A madeira deve ser cortada no máximo 24 horas antes do tratamento.

A casca do eucalipto deve ser retirada minutos antes do tratamento.

Caso a madeira seja cortada para ser tratada no dia seguinte, não retirar a casca e deixar os palanques deitados à sombra.

A retirada da casca deve ser feita batendo-se com uma marreta na casca, porém com cuidado para não machucar os vasos da madeira branca.

Quais os procedimentos do tratamento?

Para facilitar o manuseio das madeiras, que serão colocadas do tambor vazio, enterrar, se possível, esse tambor uns dois terços de sua altura.

A madeira cortada e descascada deve ser colocada dentro desse tambor de forma que todos os palanques fiquem com os pés para baixo e a ponta para cima.

É importante a retirada do limbo que se encontra entre a casca e a madeira branca. Isso pode ser feito com uma escova de aço e um pano.

Proteger o fundo do tambor que irá receber os palanques, com pedaços de borracha ou, até mesmo, com pedaços de casca de eucalipto.

Em seguida, colocar a solução preservadora nesse tambor com as madeiras até a altura de 60cm (segundo friso do tambor, de baixo para cima), por um período de sete dias.

Após esse período, inverter a posição da madeira no tambor ( pé para cima e ponta para baixo), deixando por mais três dias

O que fazer com a solução que restou do tambor reserva?

A seiva que se encontra dentro dos vasos da madeira vai se evaporando pelo topo dos palanques. A solução preservadora vai sendo sugada por essa madeira de baixo para cima e vai ocupando os espaços no interior dos seus vasos, substituindo a seiva. Com isso, o nível da solução do tambor com as madeiras vai baixando e necessita ser completado, diariamente, garantindo a altura mínima de 60cm. Entretanto, antes de colocar a solução no tambor das madeiras, é importante lembrar que deve-se agitá-la para misturar bem.

Em quanto tempo a madeira estará pronta?

Sete dias após o início do tratamento, o nível da solução estará estável e os palanques exibirão uma coloração escura que, depois de seca, ficará esverdeada. Então, os palanques devem ser virados de pé para cima e ponta para dentro do tambor, permanecendo, assim, por mais três dias.

Após esses três dias, devem-se retirar as madeiras e empilhá-las para secar à sombra por um período de 25 a 30 dias, podendo, então, os palanques ser enterrados. É preferível que os furos e os entalhes sejam feitos antes do tratamento.

Qual o custo desse tratamento?

Considerando-se apenas os preços dos produtos químicos, o tratamento para cada palanque ou moirão de aproximadamente 12cm de diâmetro por 2,20 metros de altura custará por volta de R$ 2,00.

Lembretes importantes:

1-No verão, caso apareçam traças furando a madeira já tratada (orifício de postura), devem-se adicionar, nos próximos tratamentos, 30ml de inseticida piretróide (Decis 25 ou Buldok) à solução preservadora.

 

2- Os produtos utilizados no tratamento são tóxicos e requerem o uso de equipamentos de proteção individual (EPIs), como capa plástica com protetor de cabeça, luvas de borracha nitrílica de mangas longas, botas de borrachas.

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: